A paternidade é o trabalho mais difícil do planeta Terra.

E nem todo mundo está preparado para isso. Algumas mulheres não sentem desejo de ser mães, e essa é uma escolha totalmente válida e razoável.

Continua após a publicidade..

Embora altamente gratificante, a maternidade também é difícil e desgastante. Incrivelmente assim. Faz sentido que nem todas as mulheres queiram assumir essa tarefa.

Se você está tentando descobrir o que constitui uma boa mãe, você veio ao lugar certo. Veja bem, este não é um lugar de julgamento. A maternidade é um tema muito complexo e cheio de nuances.

O que este artigo oferece, entretanto, é um conjunto de traços de personalidade que predispõem alguém a se tornar um pai potencialmente bom.

Preparar?

Aqui estão os 7 sinais de que uma mulher será uma boa mãe.

1) Ela é altamente empática

As crianças necessitam de muita energia, desde moradia até alimentação e carinho. No entanto, uma coisa que muitos pais não prestam atenção suficiente é…

Entendimento.

Quando uma criança está chateada com alguma coisa, a última coisa que ela precisa é que lhe digam: “Não chore ou darei a você algo para chorar”.

(Experimentado e testado. Eu odiava ouvir essa frase enquanto crescia.)

Uma mãe fria, inconsistente ou distante pode criar filhos que, quando crescerem, terão muitos problemas diferentes permeando suas vidas diárias, desde estilos de apego inseguros até ansiedade ou medo de abandono.

E é preciso muito trabalho para superar esses problemas, perdoar os pais e desfazer os danos.

Portanto, a empatia é uma habilidade vital quando se trata de parentalidade.

Uma mãe empática se coloca no lugar do filho, lê todos os diferentes estágios de desenvolvimento pelos quais seu filho está passando para compreendê-los melhor e se torna um santuário seguro ao qual seu filho pode recorrer quando necessário.

2) Ela mantém a mente aberta

Muitos pais têm expectativas em relação aos seus filhos – muitas vezes expectativas excessivamente elevadas.

Eles imaginam que seus filhos se tornarão médicos, advogados ou empresários de sucesso que assumirão os negócios da família. Eles têm exigências e mais exigências, e cada vez que seu filho não está à altura da tarefa, a decepção os atinge em ondas.

Mas embora seus filhos sejam seus para cuidar, eles não são seus para moldá-los à sua própria imagem.

Daí a grande verdade sobre a paternidade: um filho é uma responsabilidade que você escolhe assumir e eventualmente abandonar, e não um ser humano por meio do qual você pode realizar seus próprios sonhos e objetivos.

É por isso que um grande sinal de que uma mulher será uma boa mãe é que ela geralmente é o tipo de pessoa que vive e deixa viver. Ela mantém a mente aberta, entende que a vida é sempre mais complexa do que parece e aceita as pessoas como elas são.

Além disso, a única coisa que ela deseja para o filho é que seja feliz. Não para seguir seus passos ou atender às suas expectativas.

3) Ela gosta de cuidar dos outros

É claro que nem é preciso dizer que uma boa mãe gosta de cuidar de outras pessoas.

No entanto, é importante notar que muitas mulheres em todo o mundo ainda assumem demasiado trabalho emocional e físico em casa, o que lhes rouba o prazer e transforma a maternidade num dever 24 horas por dia, 7 dias por semana, do qual não conseguem descansar.

O que se segue é dúvida, ressentimento e culpa porque, bem, eles não deveriam gostar disso, afinal?

Se isso soa como você ou alguém que você conhece, lembre-se de que há uma diferença entre cuidar dos outros em uma casa onde você compartilha tarefas e a carga de trabalho parece administrável e em uma casa onde você carrega toda a família nos ombros.

Continua após a publicidade..

Se você gostar da primeira, é um sinal de que realmente gosta da maternidade, o que provavelmente faz de você uma boa mãe, porque sua diversão aumenta vertiginosamente seu investimento e a energia que você dedica à educação de seus filhos.

Se você se encontrar no último cenário, entretanto, sua falta de prazer não tem nada a ver com suas habilidades maternais. Significa apenas que você está sobrecarregado, cansado e precisa de uma pausa.

Como diz o psicólogo Noam Shpancer PhD, “O esgotamento parental ocorre quando os pais enfrentam estressores parentais sem os recursos necessários para lidar com eles. O esgotamento parental está associado à exaustão, ao distanciamento emocional e à perda de realização na criação dos filhos.”

4) Ela também sabe como é importante cuidar de si mesma

E isso nos leva ao próximo ponto – autocuidado.

Como mãe, é muito fácil ficar tão envolvida nas tarefas parentais que você se esquece completamente (ou se sente incapaz) de fazer uma pausa e se concentrar um pouco em si mesma.

Mas aqui está a questão. As crianças não querem principalmente mães que possam acompanhar todas as tarefas – elas querem mães que sejam felizes e que possam dar aos seus filhos o seu eu alegre e investido.

Estar presente e amar é o que mais importa.

A psicoterapeuta Illene Strauss Cohen PhD concorda: “Como mãe, é fundamental priorizar o autocuidado. Cuidar do seu bem-estar físico, mental e emocional permite que você esteja mais presente e envolvido com seu filho. Reconheça que o autocuidado não é egoísta – é essencial para ser um pai carinhoso e saudável.”

Ela também recomenda que as mães abandonem o perfeccionismo e a comparação porque cada um tem seus próprios pontos fortes, fracos e mecanismos de enfrentamento.

Ser mãe é difícil. O mais importante é que as mães possam apoiar os filhos no nível emocional, por isso o autocuidado deve ser priorizado sempre que possível.

5) Ela se comunica de forma eficaz

Um dos muitos papéis dos pais é o de professor. É você quem ensina a seus filhos o que pensar sobre o mundo ao seu redor, como expressar suas emoções e como se comunicar.

Da resolução de conflitos à autorregulação emocional, você tem o poder de tornar a vida do seu filho muito mais fácil se se esforçar.

Continua após a publicidade..

E tudo começa com você. Afinal, os filhos seguem o exemplo dos pais, e é por isso que é extremamente importante que não preguemos água e bebamos vinho.

Um sinal de que uma mulher será uma boa mãe que sabe se comunicar com os filhos e ensinar-lhes essa habilidade vital é que ela já é muito boa em comunicação quando se trata de relacionamentos amorosos e amizades.

Como ela expressa seus sentimentos quando está chateada? Como ela aborda os conflitos? Ela opera a partir de uma mentalidade de resolução de problemas? Ela demonstra compreensão e empatia ao tentar chegar a algum tipo de compromisso?

Estas são algumas perguntas muito importantes a serem feitas porque refletirão o estilo parental da pessoa.

Como escreve a psicóloga Alicia Del Prado PhD:

“Comunicação saudável é uma habilidade que você pode aprender e que precisa ser praticada. Não podemos resgatar os nossos filhos de todos os perigos possíveis na escola nem resolver todos os problemas que enfrentam quando não estamos com eles. No entanto, podemos deixá-los saber que estamos aqui para ajudá-los através de uma empatia genuína e de um envolvimento colaborativo exemplar.”

6) Ela não se leva muito a sério

De acordo com psicólogos“As brincadeiras entre pais e filhos nutrem um vínculo positivo entre pais e filhos.”

Além do mais, brincar com seu filho também o ajuda a aprimorar algumas habilidades sociais importantes e promove aprendizado e crescimento saudáveis.

É claro que brincar com crianças traz consigo um comportamento bastante infantil – você pode acabar manipulando bonecas, fazendo uma festa de chá da Barbie, construindo trens em miniatura ou lendo histórias e fazendo caretas.

De certa forma, ter um filho nos ajuda a lembrar como era sermos crianças, trazendo de volta à vida aquela centelha de diversão depois de ter ficado adormecida por anos.

Mas para fazer isso, você não pode se levar muito a sério. Você precisa estar disposto a ser um pouco selvagem, deixar de lado qualquer julgamento e deixar seu lado brincalhão emergir.

Ainda me lembro de quando minha mãe corria pelo apartamento comigo e com minha irmã, cantava músicas para nós e organizava tardes de artes e ofícios.

Nós amamos isto. E essas boas lembranças ficarão conosco para sempre.

7) Ela é muito resistente

Mais uma vez, considere isso com cautela – a resiliência parece diferente para cada pessoa.

O fato de você estar tendo um colapso porque não tem nenhuma rede de apoio em que confiar e lidar com muitas responsabilidades não significa que você não seja resiliente.

Quando se trata de maternidade, resiliência significa apenas uma coisa: que no final das contas você não desiste.

Você faz uma pausa, encontra soluções alternativas ou avança com base na sua situação, mas seja o que for, você faz o que é melhor para você e seus filhos.

E acima de tudo, você permanece autocompassivo. Já disse isso muitas vezes e repito: a maternidade é incrivelmente difícil. E toda mãe deveria se orgulhar de dar aos filhos o melhor que pode oferecer.

Portanto, o último sinal de que uma mulher será uma boa mãe é que ela pode dar um tempo.

Ela não se repreende por não ser perfeita; ela não fala negativamente de si mesma todos os dias; ela não faz uma festa de auto-ódio cada vez que algo não dá certo.

Pelo contrário – o mesmo tipo de compreensão e empatia que ela tem pelos outros é também o que ela oferece a si mesma.

E isso faz muita diferença.

Você gostou do meu artigo? Curta-me no Facebook para ver mais artigos como este em seu feed.

Share.