ad

É um quebra-cabeça complicado entender nossa própria auto-estima. Muitas vezes, é como tentar ler um livro com a capa fechada.

Passamos tanto tempo sendo nossos piores críticos que podemos nem perceber quando nossa auto-estima está sofrendo.

Continua após a publicidade..
ad

Mas o problema é o seguinte: existem sinais sutis que podem nos dar uma pista se soubermos o que procurar.

Neste artigo, ajudarei você a identificar 9 sinais sutis de que sua autoestima está mais baixa do que você imagina.

Ao reconhecer esses sinais, você pode começar a trabalhar para se recuperar. Sem adoçar, apenas conversa de verdade. Vamos mergulhar.

1) Pedir desculpas exageradas

Todos nós brincamos de vez em quando, e pedir desculpas é a coisa certa a fazer. Mas há uma diferença entre admitir um erro e pedir desculpas por cada pequena coisa.

Se você constantemente pede desculpas, mesmo quando não é sua culpa ou por coisas que estão fora de seu controle, é um sinal sutil de que sua auto-estima pode estar mais baixa do que você pensa.

Pedir desculpas demais pode indicar que você está assumindo mais culpa do que o necessário, o que muitas vezes decorre da sensação de que você não é bom o suficiente ou de que está sempre errado.

Vale a pena prestar atenção a esse hábito. Lembre-se, todo mundo comete erros – faz parte do ser humano. Mas a autocrítica constante não é saudável nem útil. É hora de dar uma folga.

2) Minimizar as conquistas

Este chega perto de casa para mim. Lembro-me de uma época em que terminei um projeto do qual estava muito orgulhoso. Quando meus colegas me elogiaram, eu me peguei dizendo coisas como “Não é grande coisa” ou “Simplesmente tive sorte”.

Minimizar nossas conquistas é um sinal revelador de baixa autoestima. Se você está sempre ignorando elogios ou atribuindo seus sucessos à sorte ou a outras pessoas, pode estar enfrentando problemas de autoestima.

Veja bem, quando temos baixa autoestima, muitas vezes nos sentimos desconfortáveis ​​em aceitar elogios. Achamos que não merecemos isso ou que as pessoas estão apenas sendo legais.

Mas aqui está a verdade: suas conquistas são dignas de reconhecimento. Você trabalhou duro e merece se sentir bem com isso.

Então, da próxima vez que alguém lhe fizer um elogio, experimente dizer “Obrigado” e aproveite o momento.

3) Conversa interna negativa

Já se pegou pensando “Estou uma bagunça” ou “Não consigo fazer nada certo”? Esse tipo de diálogo interno é chamado de conversa interna negativa.

A conversa interna negativa pode afetar seriamente nosso humor e nossa saúde mental em geral. Pode reforçar sentimentos de baixa autoestima, fazendo com que nos sintamos ainda piores em relação a nós mesmos.

O que é intrigante é que não falaríamos com nossos amigos ou entes queridos da maneira como costumamos falar conosco mesmos. No entanto, de alguma forma achamos que não há problema em sermos os nossos críticos mais severos.

Pegando e mudando esses padrões de pensamento é fundamental para melhorar sua autoestima.

4) Medo do fracasso

É normal ficar um pouco nervoso antes de assumir um novo desafio. Mas se você tem tanto medo de fracassar que evita tentar coisas novas, isso pode ser um sinal de baixa autoestima.

Esse medo pode nos manter presos em nossas zonas de conforto, impedindo-nos de correr riscos ou de perseguir nossos sonhos. Começamos a acreditar que não somos capazes ou que estamos fadados ao fracasso, por isso nem tentamos.

O problema é que o fracasso é uma parte importante do crescimento. Sem ele, perderemos lições valiosas e oportunidades de melhoria.

Continua após a publicidade..
ad

Portanto, se você perceber que o medo do fracasso o impede, talvez seja hora de reformular sua visão do fracasso. Em vez de ver isso como um reflexo do seu valor, tente vê-lo como um trampolim para o sucesso.

5) Incapaz de aceitar críticas

Nenhum de nós gosta de ser criticado. Mas há uma diferença entre não gostar e ser incapaz de lidar com isso.

Se você ficar na defensiva ou chateado com críticas construtivas, pode ser um sinal de que sua auto-estima está mais baixa do que você pensa.

Quando temos baixa auto-estima, muitas vezes vemos as críticas como um ataque direto ao nosso valor. Pode parecer uma confirmação das crenças negativas que já temos sobre nós mesmos.

Mas lembre-se, a crítica não é um ataque ao seu caráter. É um feedback sobre suas ações ou comportamento, e todos têm espaço para melhorias.

Da próxima vez que receber críticas, respire fundo e tente ver isso como uma oportunidade de crescimento, e não como uma afronta pessoal.

6) Lutando para dizer ‘não’

É uma das menores palavras da língua inglesa, mas para alguns é uma das mais difíceis de dizer.

Se você está sempre dizendo “sim” para coisas que não quer fazer ou para as quais não tem tempo, é um sinal de que sua autoestima pode estar mais baixa do que você pensa.

Quando colocamos constantemente as necessidades das outras pessoas antes das nossas, isso pode levar a sentimentos de ressentimento e esgotamento. E, no fundo, muitas vezes vem do medo da rejeição ou da crença de que nossas próprias necessidades não são importantes.

Mas o problema é o seguinte: você é importante. Suas necessidades, seu tempo, seu bem-estar – são todos importantes.

Continua após a publicidade..

E dizendo ‘não’ às vezes não o torna egoísta ou cruel. Significa que você está cuidando de si mesmo e isso é algo para se orgulhar.

7) Buscando validação externa

Eu costumava passar muito tempo me preocupando com o que os outros pensavam de mim. Eu buscava constantemente a aprovação de meus colegas, de meu chefe e até de estranhos na Internet. Foi exaustivo.

Essa necessidade constante de validação externa é um sinal comum de baixa autoestima. Começamos a acreditar que nosso valor é determinado pela aprovação dos outros, e não pelos nossos próprios sentimentos sobre nós mesmos.

O problema com isso é que coloca nosso senso de autoestima nas mãos de outras pessoas. E essa é uma base instável para construir nossa auto-estima.

Levei algum tempo, mas aprendi que a verdadeira validação vem de dentro.

Na próxima vez que você buscar a aprovação de outras pessoas, tente olhar para dentro e validar-se. Não é fácil, mas é um passo importante para a construção de uma autoestima mais saudável.

8) Evitando espelhos

Isso pode parecer algo pequeno, mas na verdade pode ser um indicador significativo de baixa autoestima.

Se você evita espelhos ou se sente desconfortável ao ver seu reflexo, pode ser um sinal de que está lutando com sua autoimagem.

Evitar espelhos muitas vezes significa que evitamos encarar a nós mesmos. Pode ser um reflexo de sentimentos negativos que nutrimos em relação à nossa aparência ou valor.

Há mais em você do que está na superfície. Tente se ver como uma pessoa inteira, não apenas como você é. E lembre-se, todos possuem qualidades únicas que os tornam especiais.

9) Você não está praticando o autocuidado

Isto é crucial. Se você adia constantemente o autocuidado – seja pulando refeições, negligenciando exercícios ou não dormindo o suficiente – isso pode ser um sinal de baixa autoestima.

Quando não nos valorizamos, muitas vezes não cuidamos de nós mesmos. Colocamos nossas necessidades em último lugar ou as ignoramos completamente.

Mas o problema é o seguinte: você merece ser cuidado, e isso começa cuidando de si mesmo.

Portanto, reserve um tempo para cuidar de si mesmo. Faça uma refeição saudável. Ir caminhar. Tenha uma boa noite de sono. Você vale cada pedacinho disso.

Pensamento final: trata-se de autocompaixão

A jornada da autoestima está profundamente entrelaçada com a autocompaixão.

A Dra. Kristin Neff, pioneira na área de pesquisa de autocompaixão, sugere que a autocompaixão é a chave para uma autoestima mais saudável. Trata-se de nos tratarmos com a mesma gentileza, cuidado e compreensão que ofereceríamos a um bom amigo.

Quando percebemos sinais de baixa autoestima, em vez de sermos duros conosco mesmos, devemos fazer uma pausa e nos oferecer compaixão. Devemos nos lembrar que todos passam por momentos de dúvida e que não há problema em não ser perfeito.

A baixa autoestima não é algo que muda da noite para o dia, mas cada pequeno passo em direção à autocompaixão nos aproxima de um relacionamento mais saudável com nós mesmos.

Share.
ad