A assertividade é uma arte, um delicado equilíbrio entre manter sua posição e manter a harmonia.

Por outro lado, agradar as pessoas pode muitas vezes levar à supressão de suas próprias necessidades e desejos. Trata-se de sempre dizer “sim” quando na verdade você quer dizer “não”.

Continua após a publicidade..

Aprender a ser assertivo é encontrar sua voz e usá-la de forma eficaz, sem parecer agressivo ou conflituoso.

Neste artigo, compartilharei com você 9 maneiras de deixar de agradar as pessoas e começar a ser assertivo. É hora de se priorizar sem se sentir culpado ou egoísta. Então vamos mergulhar.

1) Reconheça o seu valor

Um primeiro passo essencial para deixar de agradar as pessoas é compreender e reconhecer o seu próprio valor.

Freqüentemente, quem agrada as pessoas tem uma crença profundamente enraizada de que precisa fazer os outros felizes para serem valorizados ou aceitos. Isso pode resultar de várias experiências, mas o resultado é o mesmo: você coloca as necessidades dos outros antes das suas.

Mas aqui está a verdade: o seu valor não é determinado pelo quanto você faz pelos outros. Você é valioso assim como você é.

Reconhecer o seu valor permite que você estabeleça limites. Você começa a entender que não precisa agradar a todos o tempo todo.

Não há problema em dizer não se algo não estiver alinhado com seus valores ou prioridades. Não há problema em priorizar a si mesmo, suas necessidades e seu bem-estar.

Ser assertivo começa com a compreensão de que sua voz também é importante. Portanto, reconheça o seu valor e deixe-se guiar pela assertividade.

2) Aprenda a dizer “não”

Este foi um grande problema para mim. Por muito tempo, tive um problema real em dizer “não”. Parecia que se eu fizesse isso, estaria decepcionando as pessoas ou elas poderiam pensar menos de mim.

Houve uma vez em que um colega me pediu para realizar um projeto extra. Era sexta-feira à noite e eu já tinha planos para o fim de semana. Meu coração gritava “não”, mas por hábito e medo de desagradar, me peguei dizendo “sim”.

O que se seguiu foi um fim de semana cheio de estresse e arrependimento. Tive que cancelar meus planos, trabalhar muitas horas e o pior? Eu estava fervendo de ressentimento em relação ao meu colega e a mim mesmo.

Foi quando percebi o poder do “não”. Dizer “não” não significa ser egoísta ou rude. Trata-se de respeitar seu próprio tempo, energia e limites.

A partir de então, fiz um esforço consciente para dizer “não” quando algo não me agradava. Acredite, não foi fácil no início. Mas com a prática ficou mais fácil e fez muita diferença na minha vida.

Aprenda a dizer “não”. É uma das ferramentas mais poderosas do seu arsenal de assertividade.

3) Pratique a escuta ativa

A escuta ativa é uma habilidade fundamental para ser assertivo. Trata-se de focar totalmente no palestrante, compreender sua mensagem e responder com atenção.

Isto pode ser uma surpresa, mas estudos revelam que só nos lembramos de 25% a 50% do que ouvimos. Isso significa que quando você conversa com seu chefe por 10 minutos, ele só consegue prestar atenção em menos da metade da conversa.

Assim, ao praticar a escuta ativa, você poderá se destacar em suas conversas. Permite que você entenda melhor os outros, construa relacionamentos mais fortes e responda de forma assertiva.

Assertividade não consiste apenas em expressar seus próprios pensamentos e sentimentos, mas também em compreender e respeitar os dos outros. E a escuta ativa desempenha um papel crucial nisso.

4) Use declarações “I”

A maneira como você se comunica pode fazer uma grande diferença na forma como sua mensagem é percebida. Uma estratégia eficaz é usar declarações “I”.

Em vez de dizer “Você nunca me escuta”, o que pode soar como uma acusação e colocar a outra pessoa na defensiva, tente “Sinto-me ignorado quando estou falando e parece que não estou sendo ouvido”.

As declarações “eu” permitem que você expresse seus sentimentos e necessidades de forma clara e direta, sem culpar ou criticar a outra pessoa.

Esta simples mudança de linguagem pode ajudá-lo a comunicar de forma mais assertiva, reduzir conflitos e levar a discussões mais produtivas.

Continua após a publicidade..

Comece a praticar usando afirmações “eu”. É uma pequena mudança que pode fazer uma grande diferença na sua jornada de assertividade.

5) Estabeleça limites

Estabelecer limites é um passo crucial para a assertividade e uma forma importante de proteger seu tempo, energia e saúde mental.

Você já concordou com algo que não queria fazer, simplesmente para evitar conflitos? Ou talvez você tenha permitido que outros ultrapassassem seus limites porque não queria parecer cruel.

Todos nós já estivemos lá. Mas lembre-se, estabelecer limites não é apenas correto, é necessário.

Pode ser tão simples quanto decidir não verificar seus e-mails de trabalho depois de um certo tempo ou dizer a um amigo que você não pode mais emprestar dinheiro a ele.

Estabelecer limites ajuda a definir qual é o comportamento aceitável em relação a você. Dá a você o poder de decidir o que tolerará ou não.

Nem sempre é fácil e as pessoas podem resistir no início. Mas fique firme. Você tem todo o direito de proteger seu bem-estar. Comece a estabelecer esses limites hoje.

6) Abrace a autocompaixão

Ser assertivo não significa que você acertará sempre. Haverá momentos em que você vacilará, talvez diga “sim” quando queria dizer “não”, ou não conseguirá estabelecer um limite.

E está tudo bem.

É importante lembrar que ser assertivo é uma jornada, não um destino. Haverá obstáculos ao longo do caminho, e é aí que entra a autocompaixão.

Autocompaixão é ser gentil consigo mesmo quando as coisas não saem como planejado. É aceitar seus erros e entender que todos, sim, todos, têm seus dias ruins.

Quando você tropeçar, em vez de se culpar, lembre-se de que você é humano e que não há problema em cometer erros. Levante-se, aprenda com a experiência e siga em frente.

Continua após a publicidade..

Abrace a autocompaixão. Não é bom apenas para a sua jornada de assertividade, mas também para o seu bem-estar geral.

7) Procure ajuda profissional

Houve um tempo na minha vida em que me senti completamente preso aos meus hábitos de agradar as pessoas. Não importa o quanto eu tentasse, continuava caindo nos velhos padrões. Foi então que decidi procurar ajuda profissional.

Comecei a consultar um terapeuta especializado em treinamento de assertividade. Foi uma das melhores decisões que tomei.

As sessões me proporcionaram um espaço seguro para explorar meus medos e ansiedades em relação à assertividade. O terapeuta me ajudou a compreender as causas profundas de minhas tendências de agradar as pessoas e me equipou com ferramentas práticas para me libertar delas.

Buscar ajuda profissional não é sinal de fraqueza; é um passo em direção ao empoderamento. Se você está lutando contra a assertividade, considere entrar em contato com um profissional de saúde mental. Pode ser o suporte de que você precisa para navegar com confiança em sua jornada de assertividade.

8) Continue aprendendo e crescendo

Assertividade não é uma habilidade que você domina da noite para o dia. É um processo contínuo de aprendizado e crescimento.

Leia livros sobre assertividade, participe de workshops, assista a tutoriais online. Existem muitos recursos disponíveis para ajudá-lo.

Quanto mais conhecimento você adquirir, mais capacitado se sentirá para defender suas necessidades e desejos.

Além disso, lembre-se de que não há problema em tropeçar e cometer erros ao longo do caminho. Isso faz parte do processo de aprendizagem. Cada erro é uma oportunidade de aprender e crescer.

Continue aprendendo, crescendo e se esforçando para se tornar uma versão mais assertiva de si mesmo. Você conseguiu!

9) Acredite em você mesmo

No final das contas, a assertividade deriva de uma posição de autoconfiança.

Trata-se de acreditar que seus pensamentos, sentimentos e necessidades são tão importantes quanto os de qualquer outra pessoa. Trata-se de confiar no seu julgamento e saber que você tem o direito de se expressar.

Então, comece a acreditar em si mesmo. Confie nos seus instintos. Valorize suas opiniões.

Você é digno de respeito e tem o poder de exigi-lo.

Acredite em si mesmo. É a pedra angular da assertividade.

Pensamento final: tudo começa com você

A jornada em direção à assertividade e longe de agradar as pessoas é profundamente pessoal e única para cada indivíduo.

Trata-se de compreender o seu valor, defender suas necessidades e promover o respeito próprio. Trata-se de tomar uma decisão consciente de priorizar o seu bem-estar, sem culpa ou hesitação.

Lembre-se das palavras da psicóloga e autora Dana Gionta: “Você é o administrador de sua própria energia”. Em outras palavras, você controla como usa seu tempo, energia e recursos.

Então, da próxima vez que você se sentir tentado a dizer “sim” quando quiser dizer “não”, ou quando se sentir compelido a agradar os outros às custas do seu bem-estar, faça uma pausa. Reflita sobre essas palavras. Entenda que suas necessidades são importantes e não há problema em se colocar em primeiro lugar.

Assertividade não significa ser egoísta ou rude. Trata-se de honrar a si mesmo e cultivar relacionamentos saudáveis. E tudo começa com você.

Você gostou do meu artigo? Curta-me no Facebook para ver mais artigos como este em seu feed.

Share.