Dois anos atrás, a hashtag #EmmysSoWhite começou a virar tendência quando a Television Academy não concedeu nenhum troféu importante de atuação a pessoas de cor. O pêndulo oscilou, com a cerimônia deste ano premiando um número recorde de pessoas negras em todas as categorias principais: drama, comédia, séries limitadas, reality shows e variedades – uma novidade na história da TV Academy.

Dito isto, houve alguns lembretes nítidos de deficiências históricas ao longo da noite, como uma reunião do elenco de “Martin”. O amado programa não conseguiu uma única indicação ao Emmy durante suas cinco temporadas.

Um ano depois de fazer história como a segunda mulher negra a vencer como roteirista de comédia, Quinta Brunson subiu ao palco novamente para sua atuação como a adorável professora Janine Teagues em “Abbott Elementary”. Ela se tornou a segunda mulher negra a vencer a categoria, depois de Isabel Sanford por “The Jeffersons” em 1981.

Ayo Edebiri fez parte da noite histórica de “The Bear”, da FX, ganhando o prêmio de atriz coadjuvante de comédia por sua atuação como o jovem chef Sydney Adamu. Ela é a terceira mulher negra a levar para casa o troféu, depois de Jackée Harry por “227” em 1987 e da também indicada Sheryl Lee Ralph por “Abbott Elementary” em 2022. Junto com as outras indicadas Jessica Williams (“Shrinking”), Janelle James e Ralph, foi o maior número de mulheres negras já indicadas na categoria. Vale ressaltar que Edebiri fará campanha para atriz principal de comédia para a 2ª temporada, o que já resultou em vitórias no Globo de Ouro e no Critics Choice Awards.

Depois de quatro indicações ao Emmy na carreira, Niecy Nash-Betts levou para casa uma estatueta de atriz coadjuvante (limitada) como Glenda Cleveland em “Dahmer – Monster: The Jeffrey Dahmer Story”, da Netflix.

RuPaul, o apresentador de “RuPaul’s Drag Race”, ampliou seu recorde como o apresentador e negro mais premiado da história. O artista veterano ganhou um excelente programa de competição de reality e apresentador durante as Artes Criativas.

O criador de “Beef”, Lee Sung-jun, fez um hat-trick, levando para casa três Emmys por excelentes séries limitadas, direção e roteiro. Ele é o primeiro asiático a vencer os três no mesmo ano e o primeiro nas categorias de direção e roteiro. Seus dois protagonistas da série – Steven Yeun e Ali Wong – também levaram para casa o Emmy de atuação principal por suas atuações na comédia de humor negro da Netflix, os primeiros vencedores asiáticos em cada categoria.

Isto também marca a primeira vez que dois artistas asiáticos de qualquer cerimônia de premiação importante ganharam prêmios de atuação principal na mesma noite. Isso aconteceu quase um ano depois que o filme “Everything Everywhere All at Once” conquistou o Oscar e deu estatuetas às estrelas Michelle Yeoh e Ke Huy Quan, junto com o codiretor Daniel Kwan.

Trevor Noah encerrou seu mandato como apresentador do “The Daily Show” em alta, tornando-se o primeiro negro a ganhar uma excelente série de entrevistas, encerrando a longa carreira de John Oliver.

A GLAAD recebeu o Prêmio Governadores da TV Academy, um momento histórico para a comunidade LGBTQ. Para finalizar, Elton John se tornou o mais novo membro do clube EGOT.

O já anunciado Creative Arts Emmys somou-se às diversas vitórias da noite, com os vencedores de atuação convidada Sam Richardson levando o ator de comédia por “Ted Lasso” e Storm Reid ganhando a atriz de drama por “The Last of Us”.

Dito isto, nem todos os indicados favoritos terminaram com vitórias. Pedro Pascal se tornou o primeiro latino a conseguir três indicações no mesmo ano, nenhuma delas resultando em vitória. Até o momento, apenas sete latinos ganharam Emmys de atuação em todas as categorias – America Ferrera (“Ugly Betty”), Jharrel Jerome (“When They See Us”), Albert Paulsen (“Bob Hope Presents the Chrysler Theatre”), Edward James Olmos (“Miami Vice”), Jimmy Smits (“LA Law”), Rita Moreno (“The Rockford Files”) e Ricardo Montalbán (“How the West Was Won”).

Share.