Billie Joe Armstrong, do Green Day, disse que o pânico moral em relação às questões trans é uma “mente fechada pra caralho” em uma nova entrevista.

Continua após a publicidade..

Falando para o LA Times, Armstrong se lembra de ter tocado a nova música ‘Bobby Sox’ para um amigo, que tem a mesma idade que ele. “E ele ficou com lágrimas nos olhos quando ouviu o segundo verso”, disse Armstrong sobre a letra da música, que explora a fluidez de gênero.

O verso em questão mostra Armstrong cantando: “Você quer ser meu melhor amigo? / Você pode me deixar louco de novo / E eu vou te aborrecer até a morte / Não importa quando estamos apaixonados / Você não é qualquer tipo de garota / Meu único amor verdadeiro e você é meu mundo / Você quer ser minha namorada? / Você quer ser meu namorado?”

Ele acrescentou: “Hoje em dia é mais comum que as crianças sejam LGBTQ e há mais apoio. Mas para nós, antigamente”, continuou ele, referindo-se ao final dos anos 80 e início dos anos 90, “isso foi como o início de quando as pessoas eram capazes de dizer abertamente coisas assim”.

Quando questionado sobre o que Armstrong e seus companheiros de banda acham do atual pânico moral em relação aos jovens transgêneros, ele disse ao entrevistador: “Eu só acho que eles têm a mente fechada pra caralho. É como se as pessoas tivessem medo dos filhos. Por que você teria medo? Por que você não deixa seu filho ser apenas o garoto que ele é?

Continua após a publicidade..

Dia Verde
Green Day – CRÉDITO: Gilbert Flores/Penske Media via Getty Images

‘Bobby Sox’ é retirado do último álbum do Green Day, ‘Saviours’, que NME descrito como “seu melhor trabalho desde ‘American Idiot’”, em uma crítica de quatro estrelas.

Continua após a publicidade..

Diz: “Há também algum acaso na banda pegando a estrada para comemorar 30 anos de ‘Dookie’ e 20 anos de ‘American Idiot’ no final deste verão. ‘Saviors’ não apenas preenche espiritualmente a lacuna entre os dois, mas também usa a paleta do melhor da banda para nos dizer algo mais.

“Olhe para a arte: ‘Dookie’ foi um atrevido bombardeio de merda, ‘American Idiot’ foi uma granada de mão, ‘Saviors’ é um ato de desafio recebido com um encolher de ombros; uma banda dizendo: “Ainda estamos aqui e ainda estamos fodidos”.

Em uma entrevista recente com AbutreArmstrong comentou sobre a semelhança entre ‘Saviors’ e seus discos clássicos ‘American Idiot’ e ‘Dookie’, destacando como a banda inicialmente não tinha certeza de como seria o som de ‘Saviors’.

“Tínhamos um grande lote de músicas que gravamos em Londres e quando o vimos, lembrei-me de ter pensado, Oh, esse é a conexão”, Armstrong explicou. “’Saviors’ parece uma trifeta com ‘Dookie’ e ‘American Idiot’, onde parece o trabalho de uma vida. Passei de não saber o que diabos estava fazendo para pensar: “Meu Deus, conseguimos preencher a lacuna entre esses dois grandes álbuns”.



Share. WhatsApp Facebook Telegram Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email