Brett Anderson, do Suede, lançou um cover do clássico ‘The Killing Moon’ do Echo & the Bunnymen como parte de um novo projeto.

Continua após a publicidade..

Anderson trabalhou com a Paraorchestra e seu fundador e diretor artístico Charles Hazlewood em ‘The Death Songbook’, um álbum colaborativo de 12 faixas com composições originais e “re-imaginando canções icônicas que exploram o amor, a perda e a transcendência” de artistas como Depeche Mode, Suede e Japão. O álbum inclui participações especiais de Nadine Shah, Gwenno, Seb Rochford do Sons of Kemet e Adrian Utley do Portishead.

A Paraorquestra é o único conjunto do mundo composto por músicos profissionais com e sem deficiência, tocando uma mistura não convencional de instrumentos orquestrais, acústicos e eletrônicos tradicionais e usando tecnologia assistiva.

‘The Death Songbook’ será lançado em 19 de abril pela BMG.

Confira abaixo o cover de Anderson de ‘The Killing Moon’:

Continua após a publicidade..

“O Death Songbook foi uma ideia que Charles teve durante os dias sombrios de bloqueio. Assim que ele sugeriu, fui convencido”, disse Anderson em comunicado à imprensa. “Adorei a ideia de fazer a curadoria de um conjunto de músicas sobre perda, tristeza e arrependimento. Sempre achei as músicas alegres deprimentes, foram os temas mais obscuros que de alguma forma soaram mais alegres para mim. Canções sobre dúvida, medo e tristeza confrontam sentimentos contra os quais todos lutamos, então saber que não estamos sozinhos nessa luta pode ser uma afirmação silenciosa da vida.”

Anderson ajudou na curadoria do álbum, sendo que a única regra é que todas as músicas tenham uma relação com a morte ou com a morte do amor.”

Continua após a publicidade..

“Grande parte da grande arte, certamente do meu ponto de vista, é intrinsecamente melancólica”, disse Hazlewood. “A música que trata da morte, ou da morte do amor, da perda, da ansiedade, há uma transcendência nessa música. Minha escolha, esteja eu feliz ou triste ou algo entre os dois, será a música melancólica porque é onde está a catarse, é onde a arte é mais ressonante.”

A maior parte do álbum foi gravada ao vivo numa tarde durante o confinamento, socialmente distanciado no maior palco de ópera da Europa – o Donald Gordon Theatre no Wales Millennium Centre em Cardiff. Mais três músicas foram gravadas em outubro de 2022, quando o projeto voltou para lá para uma apresentação ao vivo.

A tracklist de ‘The Death Songbook’ é:

  1. ‘A Lua Assassina’
  2. ‘Não cantado’
  3. ‘Buracos (com participação de Nadine Shah)’
  4. ‘Porteiro noturno’
  5. ‘Ela ainda me guia’ (ao vivo)
  6. ‘Vida maravilhosa’
  7. ‘A Próxima Vida’
  8. ‘Ele está morto’
  9. ‘Enjoy The Silence’ (com participação de Gwenno – ao vivo)
  10. ‘O fim do mundo’ (com participação de Nadine Shah)
  11. ‘Minha Morte’ (ao vivo)
  12. ‘Amante Brutal’ (ao vivo)

O projeto também será apresentado ao público em dois shows no Roundhouse, em Londres, e no Aviva Studios, em Manchester, nos dias 24 e 26 de abril, respectivamente. aqui.



Share. WhatsApp Facebook Telegram Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email