ad

Continua após a publicidade..
ad

O governo da Coreia do Sul está supostamente se preparando para introduzir legislação para rastrear e gelificar criptomoedas e ativos virtuais norte-coreanos. Esta iniciativa surge posteriormente um período de intenso escrutínio e revisão, reflectindo o compromisso do Presidente Yoon Suk Yeol em substanciar a segurança vernáculo através de medidas práticas.

🔥Alcance mais de 5.000.000 de investidores reais por meio do marketing de influenciadores do Twitter! 🔥

O projeto de lei revisado, elaborado ao longo de 10 meses de consultas interministeriais, promete fortalecer as sanções existentes da Coreia do Sul contra a Coreia do Norte e produzir um envolvente regional mais seguro.

O dilema criptográfico

As criptomoedas tornaram-se uma escolha popular para atividades ilícitas devido à sua natureza descentralizada, o que torna o rastreamento das transações um repto. Coréia do Setentrião, notório por suas atividades de infiltração cibernéticarecorreu cada vez mais à criptografia para evitar sanções internacionais e financiar os seus programas de armas. Coreia do Sul, uma vez que um importante meio de negócio de criptografiareconhece a premência sátira de abordar esta questão.

Continua após a publicidade..
ad

A Proposta Inicial

O Serviço Pátrio de Lucidez (NIS) anunciou o projeto de lei pela primeira vez em novembro, sinalizando um compromisso de moderar as manobras financeiras da Coreia do Setentrião. No entanto, o Presidente Yoon Suk Yeol viu a premência de mais refinamentos.

Ele instou o projeto de lei a incluir “medidas práticas para substanciar a segurança vernáculo”, de pacto com fontes anônimas da governo que falaram ao JoongAng Daily. Levante demora serviu uma vez que prova do compromisso do governo sul-coreano em produzir uma peça legislativa muito pensada e eficiente.

Continua após a publicidade..

O projeto de lei revisto, que deverá ser apresentado, reflete a fé do Presidente Yoon de que a infraestrutura de segurança cibernética da Coreia do Sul requer reparação urgente. Contém disposições para rastrear e neutralizar moedas virtuais e outros ativos criptográficos roubados pela Coreia do Setentrião através de hackers, um paisagem não resguardado na proposta original apresentada pelo NIS no ano pretérito.

A persistente prenúncio cibernética da Coreia do Setentrião

Só em 2022, A empresa analítica de blockchain Chainalysis relatou que a Coreia do Setentrião roubou um impressionante valor de 1,7 trilhão de won (aproximadamente US$ 1,28 bilhão) em Bitcoin e Ethereum por meio de vários grupos de hackers.

Entre as inúmeras organizações de hackers atribuídas à Coreia do Setentrião, o Grupo Lazarus se destaca uma vez que um dos atores mais notórios e prolíficos no domínio dos hacks relacionados à criptografia. Levante grupo obscuro tem sido associado a uma infinidade de crimes cibernéticos e ao roubo de criptomoedas de várias bolsas e instituições financeiras.

🔥Alcance mais de 5.000.000 de investidores reais por meio do marketing de influenciadores do Twitter! 🔥

Share.
ad