(Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Discord demitiu 17% do seu quadro de funcionários (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Na última quinta-feira (11), o Discord demitiu 17% do seu quadro de funcionários, um total de 170 pessoas. Em um comunicado enviado aos empregados, Jason Citron, CEO da plataforma, justifica que as demissões são resultados de contratações mais rápidas que o próprio crescimento da empresa. O motivo do layoff do Discord se assemelha ao ocorrido na Twitch um dia antes.

Na quarta-feira, a Twtich, que é de propriedade da Amazon, comunicou a demissão de 35% do seu quadro de funcionários — algo em torno de 500 pessoas. Dan Clancy, CEO da Twitch, disse que a decisão foi tomada porque o “quadro de funcionários é maior do que o tamanho do negócio da Twitch”. Ao compararmos a situação da Twitch e do Discord, além de semelhanças entre si, vemos que as duas estão passando por um cenário parecido com os das big techs entre 2022 e 2023.

Continua após a publicidade..

A Twitch e o Discord, dois serviços com foco no público no gamer, tiveram um alto crescimento durante o início da pandemia de Covid-19. Com as pessoas se isolando em casa, assistir lives na Twitch e jogar em conjunto com os amigos no Discord virou parte da rotina de muita gente. Porém, com a melhora do cenário, o tempo de uso dessas plataformas acabou diminuindo e todas aquelas contratações para acompanhar o crescimento se mostram desnecessárias.

App do Discord no iPhone (Imagem: Ronaldo Gogoni/Tecnoblog)
Com o retorno da vida social, usar o Discord para “rever” os amigos se tornou uma tarefa menos comum (Imagem: Ronaldo Gogoni/Tecnoblog)

Discord sente o que as big techs passaram em no último ano

No comunicado enviado aos funcionários, o CEO Jason Citron explica que o Discord cresceu rápido, mas a força de trabalho aumentou em cinco vezes desde 2020. Com isso, diz Citron, a plataforma começou mais projetos, só que a operação ficou menos eficiente.  

Continua após a publicidade..

Assim como disse a Twitch na quarta-feira e as big techs entre 2022 e 2023, Citron ressalta que a decisão também foi tomada pensando no longo prazo. “Eu estou confiante que isso nos colocará na melhor posição para seguir construindo um negócio forte e lucrativo”, diz o CEO. Segundo uma fonte do A beirao Discord espera começar a dar lucros neste ano.

Continua após a publicidade..

A situação do Discord e da Twitch levantam um questionamento: será que agora é a vez das empresas gamers passarem pela fase de layoffs?

Com informações: A beira

Discord demite 170 funcionários e diz que empresa perdeu eficiência

Share.