O festival de documentários de Copenhague CPH:DOX, cuja 21ª edição acontece de 13 a 24 de março, revelou os filmes indicados em todas as seis categorias de premiação. A seleção apresenta 66 filmes em competição, entre os quais 47 são estreias mundiais, 17 estreias internacionais e duas estreias europeias. Todos os filmes da competição principal serão estreias mundiais.

Niklas Engstrøm, diretor artístico do CPH:DOX, comentou: “O que une estes filmes é a sua ambição de interagir com o mundo de uma forma significativa. A competição deste ano concentra-se nas questões mais urgentes do nosso tempo, desde as guerras na Ucrânia e em Gaza até à violência dos gangues na Suécia, explorando temas de política de identidade, colonialismo e as lutas fundamentais pela democracia e a luta contra as alterações climáticas. Esses filmes oferecem novas perspectivas, desafiam fronteiras estéticas e se aprofundam em questões que pensávamos ter compreendido.”

Continua após a publicidade..

CPH:DOX e o Instituto de Direitos Humanos introduziram o novo Prêmio Human:Rights no festival deste ano, marcando o 75º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Este prémio “destaca a relevância contínua dos direitos humanos em tempos difíceis”.

Mads K. Mikkelsen, chefe do programa CPH:DOX, declarou: “Numa era que exige solidariedade com cineastas corajosos que defendem a igualdade e a justiça em todo o mundo, estabelecemos o Prêmio Humano:Direitos. Este ano, nomeamos 10 filmes excepcionais que destacam questões globais urgentes, reflectindo o nosso compromisso em promover uma compreensão mais profunda dos direitos humanos.”

O DOX:AWARD, que oferece 10.000€, apresenta estreias mundiais. O prémio NEW:VISION, com um prémio de 5.000 euros, investiga filmes de arte e experiências que desafiam fronteiras, enquanto o prémio NEXT:WAVE, também avaliado em 5.000 euros, destaca cineastas emergentes. O Prémio NORDIC:DOX, outro prémio de 5.000 euros, destaca filmes excepcionais da região nórdica, enquanto o Prémio F:ACT, também com um prémio de 5.000 euros, celebra o campo entre o documentário e o jornalismo de profundidade. O Prémio HUMAN:RIGHTS, avaliado em 5.000€, dá ênfase a filmes que abordam questões de direitos humanos. O Prémio do Público, com um prémio de 5.000€, permite aos festivaleiros votar no seu filme preferido.

Continua após a publicidade..

DOX:PRÊMIO:
“Balomania” (Sissel Morell Dargis, Dinamarca/Espanha, estreia mundial)
“The Black Garden” (Alexis Pazoumian, França/Bélgica, estreia mundial)
“E.1027 – Eileen Gray e a Casa à Beira-mar” (Beatrice Minger, co-diretor. Christoph Schaub, Suíça, Estreia Mundial)
“The Flats” (Alessandra Celesia, França/Reino Unido/Irlanda/Bélgica, estreia mundial)
“Immortals” (Maja Tschumi, Suíça/Iraque, estreia mundial)
“Life and Other Problems” (Max Kestner, Dinamarca/Suécia/Reino Unido, estreia mundial)
“Motherboard” (Victoria Mapplebeck, Reino Unido, estreia mundial)
“Night of Nights” (Truman, EUA, estreia mundial)
“Era uma vez em uma floresta” (Virpi Suutari, Finlândia, estreia mundial)
“Fantasmas da Sierra Madre” (Håvard Bustnes, Noruega/Finlândia/EUA/México, estreia mundial)
“Dois estranhos tentando não se matar” (Manon Ouimet e Jacob Perlmutter, Reino Unido, estreia mundial)
“Wilfred Buck” (Lisa Jackson, Canadá, estreia mundial)

NOVO: PRÊMIO DE VISÃO
“Preemptive Listening” (Aura Satz, Reino Unido/Finlândia, estreia europeia)
“Ottu” (Sandra Ignagni, Canadá/França/Itália, estreia mundial)
“My Want of You Partakes of Me” (Beny Wagner e Sasha Litvintseva, Reino Unido/Holanda, estreia mundial)
“Familiar Phantoms” (Larissa Sansour, Søren Lind, Reino Unido/Palestina, estreia mundial)
“E ainda assim, permanece” (Arwa Aburawa, Turab Shah, Argélia/Reino Unido, estreia mundial)
“Look on the Bright Side” (Yuyan Wang, França/Itália, estreia internacional)
“Dieseline Dreams” (Max Göran, Suécia, estreia mundial)
“Trash the Musical” (Loretta Fahrenholz, Alemanha, estreia mundial)
“Two Suns” (SUPERFLEX, Dinamarca, estreia mundial)
“You, My, Omma, Mama” (Laure Prouvost, Bélgica/França/Áustria, estreia mundial)
“Lichens Are the Way” (Ondřej Vavrečka, República Tcheca/Eslováquia, estreia mundial)
“Single File” (Simon Liu, Itália/EUA/Reino Unido/Hong Kong, estreia mundial)
“Noite Silenciosa” (Philipp Schaeffer, Jonathan Schaller, Alemanha/Palestina/Israel, estreia mundial)
“Efforts of Nature” (Morgan Quaintance, Reino Unido, estreia internacional)
“No Exorcism Film” (Komtouch Napattaloong, Tailândia, estreia mundial)

Continua após a publicidade..

F: PRÊMIO ACT
“The Battle for Laikipia” (Daphne Matziaraki, Peter Murimi, Quênia/EUA, estreia internacional)
“Black Snow” (Alina Simone, EUA, estreia mundial)
“Can’t Feel Nothing” (David Borenstein, Dinamarca/China/Rússia/Macedônia do Norte/EUA, estreia mundial)
“Filha de Genghis” (Kristoffer Juel Poulsen, Christian Als, Dinamarca, estreia mundial)
“Democracy Noir” (Connie Field, EUA/Alemanha/Dinamarca, estreia mundial)
“Lie to Me” (Baar Tyrmi, Noruega, estreia internacional)
“Limites da Europa” (Apolena Rychlíková, República Tcheca/Eslováquia/França, estreia mundial)
“Noite dos Coiotes” (Clara Trischler, Alemanha/Áustria, estreia mundial)
“Stray Bodies” (Elina Psykou, Grécia/Suíça/Itália/Bulgária, estreia internacional)
“Union” (Stephen Maing, Brett Story, EUA, estreia internacional)

PRÓXIMO: PRÊMIO WAVE
“Aparições” (Nicolás Onischuk, Argentina, Estreia Internacional)
“The Base” (Vadim Dumesh, França, estreia internacional)
“Blueberry Dreams” (Elena Mikaberidze, Geórgia/França/Bélgica, estreia mundial)
“Morte de um Santo” (Patricia Bbaale Bandak, Dinamarca, estreia mundial)
“Eros” (Rachel Daisy Ellis, Brasil, estreia internacional)
“G – 21 Scenes From Gottsunda” (Loran Batti, Dinamarca/Suécia, estreia mundial)
“Grand Me” (Atiye Zare Arindi, Bélgica/Irã, estreia mundial)
“Pessoas Invisíveis” (Alisa Berger, França/Alemanha, estreia mundial)
“KIX” (Bálint Révész, Dávid Mikulán, França/Croácia/Hungria, estreia mundial)
“Meu primeiro filme” (Zia Anger, EUA, estreia mundial)
“As Noites Ainda Cheiram a Pólvora” (Inadelso Cossa, França/Holanda/Moçambique/Noruega/Portugal/Alemanha, Estreia Internacional)
“Realm of Satan” (Scott Cummings, EUA, estreia internacional)
“Sting Like a Bee” (Leone Balduzzi, Itália, estreia internacional)
“To Be an Extra” (Henrike Meyer, Alemanha, estreia mundial)

NÓRDICO: PRÊMIO DOX
“G – 21 Scenes From Gottsunda” (Loran Batti, Dinamarca/Suécia, estreia mundial)
“Hard to Break” (Anna-Maija Heinonen, Krista Moisio, Finlândia, estreia internacional)
“O trabalho da dor e da alegria” (Karoliina Gröndahl, Finlândia, estreia mundial)
“Life and Other Problems” (Max Kestner, Dinamarca/Suécia/Reino Unido, estreia mundial)
“Mina and the Radio Bandits” (Kari Anne Moe, Noruega, estreia mundial)
“Era uma vez em uma floresta” (Virpi Suutari, Finlândia, estreia mundial)
“Our Father Wears a Sun” (Jasper Spanning, Rosalinde Mynster, Dinamarca, estreia mundial)
“Fantasmas da Sierra Madre” (Håvard Bustnes, Noruega/Finlândia/EUA/México, estreia mundial)
“A Place in the Sun” (Mette Carla Albrechtsen, Dinamarca, estreia mundial)
“O Filho e a Lua” (Roja Pakari, Dinamarca/Irã, estreia mundial)

PRÊMIO DE DIREITOS HUMANOS
“Black Box Diaries” (Shiori Ito, Japão/Reino Unido/EUA, estreia europeia)
“I Shall Not Hate” (Tal Barda, Canadá/França, estreia mundial)
“Limites da Europa” (Apolena Rychlíková, República Tcheca/Eslováquia/França, estreia mundial)
“Marching in the Dark” (Kinshuk Surjan, Bélgica/Holanda/Índia, estreia mundial)
“Mediha” (Hasan Oswald, EUA, estreia internacional)
“A Poem for Little People” (Ivan Sautkin, Lituânia/Reino Unido/Ucrânia, estreia internacional)
“Power” (Yance Ford, EUA, estreia internacional)
“The Recovery Channel” (Ellen Ugelstad, Noruega, estreia internacional)
“Silent Trees” (Agnieszka Zwiefka, Dinamarca/Polônia/Alemanha, estreia mundial)
“The Sky Above Zenica” (Zlatko Pranjic, Nanna Frank Møller, Bósnia e Herzegovina/Dinamarca, estreia mundial)

Share.