Continua após a publicidade..

13 fev
2024
– 21h16

(atualizado às 23h37)




Foto: Divulgação/Sony / Pipoca Moderna

Os críticos dos Estados Unidos estão sendo impiedosos com “Madame Teia”, filme da Sony baseado em personagens dos quadrinhos do Homem-Aranha. Dirigido por S.J. Clarkson (“Jessica Jones”) e estrelado por Dakota Johnson (“Cinquenta Tons de Cinza”), o lançamento está sendo considerado o prego definitivo no caixão do gênero, que vive esgotamento após diversos fracassos consecutivos. Para se ter noção, estão dizendo que “Morbius” consegue ser melhor que a nova produção. “Morbius” teve apenas 15% de aprovação da crítica na média compilada pelo agregador Rotten Tomatoes. “Madame Teia” debutou no portal com 14% nesta terça (13/2).

O péssimo resultado não chega a ser surpresa. Na verdade, era praticamente garantido. Afinal, a Sony insistiu com os mesmos roteiristas de “Morbius”, Matt Sazama e Burk Sharpless, apostando no talento nunca comprovado dos autores de “Os Deuses do Egito”, “Power Rangers” e “Os Caçadores de Bruxas”, filmes de grandes orçamentos que deram prejuízo nas bilheterias.

Continua após a publicidade..

Críticas negativas

O site The Hollywood Reporter caracterizou o longa como “uma empreitada sem vida e forçada, impulsionada por um roteiro mecânico”. E ainda acrescentou: “Sua falta de imaginação seria surpreendente, não fosse tão esperada.” The Daily Beast” descreveu a obra como “uma saga torturante”, apontando para a falta de tom uniforme e sequências de ação coerentes. O site Collider comentou que o elenco não consegue transmitir emoções humanas autênticas, o IndieWire considerou os efeitos visuais risíveis e a revista Variety comparou o resultado a uma “cópia pirata” de filme de super-herói.

Mas a revista Rolling Stone superou toda a negatividade, chamando o filme de “um desastre nível Chernobyl”: “‘Madame Teia’ não é tão ruim quanto sua campanha promocional um tanto desastrosa poderia sugerir. Na verdade, é muito pior”.

Pior de todos os tempos?

Houve até um debate sobre se o filme é a pior produção de super-heróis já feita. Para o USA Today é a pior, pelo menos, desde “Morbius”. “Se vocês acharam que ‘Morbius’ era ruim, se preparem para ‘Madame Teia'”, descreveu o jornal. “Morbius foi melhor”, protestou o influenciador e criador de conteúdo Matt Ramos. “A pior adaptação de quadrinhos que eu já vi”, garantiu o site 3C Films. “Repleto de diálogos atrozes, edição desajeitada e com uma estrutura completamente risível. Fiquei perplexo, cena após cena, ao perceber que alguém aprovou isso”, completou o texto.

Já o Slashfilm hesita até em descrever “Madame Teia” como um filme de super-herói: “É mais como um prólogo, um conto sobre quem eram as várias Mulheres-Aranha antes de ganharem seus poderes. O público tem a chance de ver alguns flashforwards para o momento em que elas estarão fantasiadas, mas ‘Madame Teia’ não trata de como elas ganharam seus poderes ou vestiram seus uniformes. É simplesmente sobre a garantia de que elas serão heroínas um dia’.

Continua após a publicidade..

Comparação com fracassos anteriores

A comparação com decepções e falhas anteriores nos filmes de “Venom” e “Morbius” sugerem que a Sony Pictures repete sempre os mesmos erros, sem aprender com eles. Apesar de algumas qualidades pontuais, como o elenco, o roteiro muito ruim e falta de inspiração geral tende a condenar a produção ao fracasso e já coloca em dúvida o futuro de outros projetos similares.

A Sony vai lançar outro derivado dos quadrinhos do Homem-Aranha, “Kraven, o Caçador” em 22 de agosto.

A história e o elenco de “Madame Teia”

Em “Madame Teia”, Dakota Johnson tem o papel principal de Cassandra Webb, uma paramédica de Manhattan que, após sofrer um acidente quase fatal, começa a desenvolver poderes de clarividência. Graças a esse poder de ver o futuro, ela descobre a ameaça de um psicopata assassino, focado em matar um trio de jovens aleatórias, que recentemente cruzaram o caminho da protagonista. Acontece que o próprio assassino tem ligação com o passado de Cassandra, é igualmente clarividente e viu no que as jovens vão se transformar.

As jovens protegidas por Cassandra são Julia Carpenter, a segunda Mulher-Aranha dos quadrinhos (e posteriormente segunda Madame Teia), vivida por Sydney Sweeney (“Euphoria”), Mattie Franklin, outra Mulher-Aranha vivida por Celeste O’Connor (“Ghostbusters: Mais Além”), e Anya Corazon, a Garota-Aranha, interpretada por Isabela Merced (“Dora e a Cidade Perdida”).

Outros detalhes do elenco fazem do filme um prólogo do Homem-Aranha, como a presença do jovem “tio” Ben Parker, vivido por Adam Scott (“Ruptura”), e sua cunhada Mary Parker, mãe de Peter/Homem-Aranha, com interpretação de Emma Roberts (“American Horror Story”).

“Madame Teia” estreia no Brasil na quinta-feira (15/2).

Share.