Noel GallagherNoel Gallagher
Foto de Noel Gallagher através da Shutterstock

Noel Gallagher é considerado um dos músicos mais influentes na criação do Britpop e sua banda, o Oásisteve um importante papel na consolidação desse movimento.

Continua após a publicidade..

A sonoridade das músicas apresentadas por ele e seu irmão Liam Gallagher no grupo que esteve em atividade entre 1991 e 2009 marcou uma geração e passou a ser inspiração para muitos outros grupos do Reino Unido.

Porém, para chegar ao som que inclui elementos do Pop britânico dos anos 60, Glam Rock e Punk Rock dos anos 70, e Indie Pop dos anos 80, Noel também foi influenciado por uma série de artistas desses estilos musicais.

Em 2011, Noel Gallagher conversou com o portal O Quieto (através da Longe) e revelou seus 13 discos preferidos de todos os tempos em uma lista que inclui obras de O ferreiros, Sexo Pistolas, Beatles, as rosas de pedra e muitos outros astros britânicos que marcaram a história da música.

Confira a lista completa e os comentários feitos por Noel Gallagher logo abaixo!

Os 13 discos preferidos de Noel Gallagher

Pistolas Sexuais – Não importa as besteiras…

De todas as pessoas que influenciaram diretamente o Oasis, a linhagem remonta aos Sex Pistols, sejam Joy Division/New Order, The Smiths, The Stone Roses ou [a gravadora] Factory Records, e se eles não tivessem feito aqueles dois shows em Manchester, quem sabe o que teria acontecido?

E nesse álbum você tem Lydon ou Johnny Rotten com aquela voz falando sobre a família real e o tédio e tudo mais, enquanto você tem Steve Jones martelando como um roqueiro de pub ou como alguém que gosta de Slade ou The Small Faces em vez de punk rock, e entre essas duas coisas você encontra o que busca. Cada vez que ouço, penso que se fosse lançado amanhã, se encaixaria perfeitamente, não pareceria datado.

Pink Floyd – A parede

Quando saí da escola, ‘The Wall’ era o álbum do maconheiro. ‘Dark Side Of The Moon’ e ‘Wish You Were Here’ talvez eu tenha ouvido demais, mas ‘The Wall’ eu nunca me cansaria. Essa faixa ‘Nobody Home’ traz de volta muitas lembranças para mim. Depois de sair da escola, eu costumava ir até a casa dos meus amigos, me esfolar, e ouvíamos isso. Dias felizes e despreocupados.

Os Smiths – Rainha está morta

Algumas pessoas diriam que os Smiths nunca gravaram um grande álbum e que eles eram mais uma banda de singles e eu meio que entendo o que eles querem dizer. Eu gosto muito de ‘Meat Is Murder’, que é um disco estranhamente psicodélico com faixas bem longas. Eles realmente fizeram o trabalho braçal com aquele álbum. Mas eu lembro que antes de ‘The Queen Is Dead’ ser lançado, era um acontecimento… eles estavam prestes a lançar seu primeiro álbum como uma grande banda.

Lembro-me de ouvir o primeiro single, ‘Bigmouth Strikes Again’, e eles seguiram em frente. E então eu peguei e… a capa era horrível… simplesmente uma merda. Mas então eu toquei e começa com aquele sample: ‘Oh, leve-me de volta ao querido e velho Blighty…’ E foi, ‘Puta que pariu…’ Simplesmente surpreendente. Uma das melhores aberturas de um álbum de todos os tempos. E isso é antes de chegar em ‘There Is a Light That Never Goes Out’.

Continua após a publicidade..

Vários Artistas – Os Clássicos da Hacienda

Quando o Oasis começou, bem no começo, costumávamos fazer uma cover de ‘Feel The Groove’ do Cartouche. Há uma fita daquele show ao vivo em algum lugar. Eu era o chefe da dance music do grupo. Eu gostava de música indie como todo mundo, New Order, The Smiths e então, uma noite em 1987, alguém me levou ao Hacienda porque eu estava lendo sobre essa música e fiquei ali parado, bebendo Colt 45, pensando ‘Bem, isso é uma merda…’ Mas então alguém me pegou na semana seguinte e disse: ‘Tome um desses.’ E coloquei um pequeno comprimido na minha mão. E dentro de uma hora eu pensei que essa música era a melhor coisa que eu já tinha ouvido em toda a minha vida. Foi uma experiência de mudar a vida.

[…] Naquela época eles tocavam de tudo, hip hop, electro, acid house, techno e tudo misturado. Foram os melhores anos da minha vida e provavelmente todos os dias desde então, eu pensei: ‘Gostaria de saber como se chamavam essas músicas’. Então eu ouvi que esse álbum estava sendo lançado, coloquei-o em casa e fui instantaneamente transportado de volta para aquela boate. E agradeço às pessoas que lançaram este álbum. Isso me lembra de ótimos dias quando eu era jovem e aproveitava a vida ao máximo.

As Rosas de Pedra – As rosas de pedra

As pessoas esquecem o quão revolucionárias elas eram na época. Lembro-me de vê-los na cidade quando eram uma banda ‘gótica’. Eles não eram góticos de verdade, mas tinham aquele estilo gótico na guitarra [com Andy Couzens]. As pessoas pensam neles agora, pela sua aparência e tudo mais, mas eles foram as últimas pessoas em Manchester a começar a se vestir assim. Todo mundo em Manchester já era assim.

Mas realmente, quando esse álbum foi lançado depois de todos os problemas que tiveram, foi simplesmente perfeito. Quando você ouve a versão completa de ‘I Am The Resurrection’, é simplesmente perfeito.

Os La – Os La’s

As pessoas dizem que Lee Mavers [The La’s] é louco ou um artista torturado, mas não é. Ele é apenas preguiçoso. Bem, ou isso ou ele não quer manchar a reputação daquilo que ele sabe que já conquistou. Eu tenho dois CDs com coisas inéditas que deixariam você desmaiado. Deveria ter sido lançado como um álbum, mas não verá a luz do dia.

[…] este é um álbum maravilhoso e eu realmente gosto de tocá-lo para pessoas ao redor do mundo – americanos em particular – para pessoas que nunca ouviram falar dele. Eles ficam sempre, ‘O que… Que porra é essa?’ Mesmo sendo uma forma padrão de R&B na guitarra, é totalmente único. Ninguém fez isso tão bem quanto ele desde então. Suas letras são ótimas, sua voz é incrível e toda a vibração do The La’s é incrível.

O Andrógino Amorfo – Uma Monstruosa Bolha Psicodélica Vol. 1

Vi um anúncio desse álbum quando ele foi lançado e tive que comprá-lo. Eu apenas pensei: ‘Com um título como esse, ou será a melhor coisa de todos os tempos ou a pior coisa de todos os tempos.’ E desde o segundo em que coloquei e ouvi ‘Barabajagal (Love Is Hot)’, de Donovan, isso me surpreendeu.

Assim que o álbum terminou, eu peguei o telefone e pensei: ‘Encontre esses caras para mim. Preciso ir trabalhar com eles’. Aí descobri mais sobre eles e entrei no site deles e eles têm podcasts e tudo mais. Você deveria vê-los discotecando. Eles são inacreditáveis. Eles vão explodir sua mente. Eles são gênios modernos… embora um deles nunca diga uma palavra e o outro nunca pare de falar.

A trilha sonora de nossas vidas – Por trás da música

Devo dizer que essa banda foi uma grande influência no período final do Oasis. Foi o único álbum que comprei após ler uma crítica porque dizia que era um pouco como os Beatles, um pouco como os Stones, um pouco como o The Who, realmente influenciado pelos anos 60 e todo o resto.

Coloquei no som do carro quando estava dirigindo para um show do Oasis e desde o início foi tipo, ‘Uau.’ Isso simplesmente me surpreendeu, a letra, a forma de tocar. E então quando pudemos vê-los ao vivo, o cantor era um cara gigante e gordo. Acabamos saindo em turnê com eles por dois anos. Eu os assisti todas as noites e achei que eles eram incríveis e se tornaram bons amigos. Ainda acho que esse álbum é uma obra-prima moderna.

Continua após a publicidade..

U2 – Árvore de Josué

Eu adoro as músicas deste álbum. Não gosto muito do aspecto religioso da banda, mas sou fã desde que os vi no Top Of The Pops tocando ‘Fire’. A razão pela qual eu escolhi esse em vez de ‘Achtung Baby’ – que é um dos meus álbuns favoritos do U2, do meu período favorito do U2 – é que é um álbum enorme para mim.

Os Beatles – Revólver

‘Revolver’ foi quando as cítaras realmente começaram a aparecer com os Beatles, e todas as coisas invertidas em ‘Tomorrow Never Knows’. É o primeiro álbum deles sobre drogas. A bateria soa muito bem e é uma aula de como fazer a guitarra estourar. É exatamente isso. Eles pegaram o que os Beatles eram, fizeram ‘Revolver’ e na semana seguinte estão fazendo ‘Strawberry Fields Forever’. Eles são uma banda completamente diferente. É um clichê falar sobre isso agora porque é muito conhecido, mas este é um álbum alucinante.

As torções – The Kinks Are the Village Green Preservation Society

The Kinks, assim como The Who, são uma daquelas ótimas bandas inglesas de singles, mas eu já ouvi esse álbum tantas vezes e simplesmente adoro ele. Obviamente, é uma grande influência na escrita de Damon Albarn. Você conhece a música ‘Big Sky’? Você quase pode ouvir alguém gritando ‘Parklife!’ no final, sabe o que quero dizer?

Na faixa de abertura você tem a letra mencionando toda a geléia de morango, Fu Manchu, Mrs Mop e todas essas coisas essencialmente inglesas, e quando comecei a envelhecer, estava ouvindo discos e não apenas sentindo-os, de repente me ocorreu: ‘Essas letras são absurdas. Como você coloca tudo isso aí e faz funcionar?’. O álbum é incrível.

As pedras rolantes – Deixe Sangrar

Delia Smith fez o bolo para a capa deste álbum. Acho que poderia ter pedido a Yotam Ottolenghi para fazer um merengue para a capa de The High Flying Birds ou a Heston Blumenthal para fazer um sorvete de arame farpado para mim.

Eu poderia ter escolhido o ‘Their Satanic Majesties Request’ , tem ‘2000 Light Years From Home’ e ‘She’s A Rainbow’. E, novamente, durante anos eu só tinha a compilação ‘Rolled Gold’, mas este foi o primeiro álbum que ouvi deles quando realmente pensei: ‘Ah, sim… é disso que se trata… eles não são apenas ‘Satisfaction’ e ‘Let’s Spend The Night Together’, ‘Gimme Shelter’ e ‘You Can’t Always Get What You Want’, assim é melhor’.

A WHO – O melhor de quem

Agora, algumas pessoas te criticam por escolher um disco de compilação, mas o The Who é totalmente uma dessas bandas. Eu não curto nenhum de seus álbuns. O único álbum que não é uma coleção de sucessos que posso ouvir do início ao fim é ‘Live At Leeds’.

Em seus álbuns de estúdio há sempre algum conceito meio idiota pendurado em algumas boas músicas. Mas ‘The Ultimate Collection’ é… um inferno. Se você tem uma certa idade e toca música de guitarra, eles estão no mesmo nível dos Beatles para mim.

Você só precisa olhar para os singles, ‘My Generation’, ‘The Kids Are Alright’, até ‘Pinball Wizard’ e até ‘You Better You Bet’ são muito boas. A questão dos ‘Best of’ é que desde quando eu era adolescente até o momento em que realmente ganhei algum dinheiro de verdade, tudo que eu podia pagar eram os ‘Best of’.

EU QUERO SER TOUR

Em poucos dias o Brasil receberá uma turnê incrível com gigantes do Emo e rock alternativo; garanta o seu ingresso por aqui!



Share.