Certa vez, Paul McCartney tentou convencer Vladimir Putin a libertar um grupo de ativistas do Greenpeace citando-lhe algumas letras dos Beatles.

Continua após a publicidade..

Conforme revelado em uma próxima série de documentários da BBC, Em gelo fino: Putin V GreenpeaceMcCartney ficou comovido com a situação de um grupo de ativistas climáticos depois de terem sido detidos na Rússia durante um protesto e jogados na prisão em 2013.

O grupo pretendia filmar uma corrida ao petróleo nas águas russas do Ártico, mas 28 deles foram presos em seu navio, o Arctic Sunrise, e acusados ​​de pirataria e vandalismo.

McCartney, que tocou na Praça Vermelha de Moscou em 2003, escreveu uma carta pessoal ao presidente russo, implorando-lhe que libertasse os ativistas.

“Quarenta e cinco anos atrás eu escrevi uma música sobre a Rússia para o The White Album [‘Back In The U.S.S.R.’]na época em que não estava na moda os ingleses dizerem coisas boas sobre o seu país”, escreveu ele.

“Essa música tinha uma das minhas falas favoritas dos Beatles: ‘Estive fora por tanto tempo que mal conhecia o lugar, caramba, é bom estar de volta em casa.’”

Continua após a publicidade..

“Você poderia tornar isso realidade para os prisioneiros do Greenpeace?”

Os prisioneiros cumpriram pena de três meses antes de serem libertados.

Uma missiva um pouco menos doce do ex-Beatle foi recentemente revelada ao mundo por Mark Ronson.

Continua após a publicidade..

O aclamado produtor está em uma campanha pública para que a banda Foreigner seja incluída no Rock & Roll Hall of Fame em 2024, reunindo uma compilação de apelos em vídeo de outras grandes figuras da indústria, como Dave Grohl e Slash.

McCartney foi outro que Ronson conseguiu convencer, embora a mensagem de vídeo que recebeu mostrasse Macca sentado em seu carro, dizendo ‘Estrangeiro não está no Hall da Fama? Que porra é essa?”, antes de encerrar prontamente a gravação.

No mês passado, uma série de quatro grandes filmes foi anunciada pela Sony Pictures Entertainment, cada um contando a perspectiva de um membro da jornada dos Beatles.

Sam Mendes (1917, Chuva pesada) irá dirigir todos os quatro filmes, o que será a primeira vez que os espólios oficiais dos Fab Four concederão a história de vida completa e os direitos musicais para um filme com roteiro.

Os filmes estão todos programados para lançamento em 2027, com a Sony descrevendo “a cadência de namoro dos filmes” como “inovadora e inovadora”.

A notícia vem na sequência de ‘Now And Then’ do ano passado, uma nova faixa dos Beatles montada a partir de uma demo de John Lennon e completada por novas performances de McCartney, Ringo Starr e partes de guitarra de arquivo de George Harrison.



Share. WhatsApp Facebook Telegram Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email