É difícil identificar a satisfação com a vida. Para alguns, é começar uma família. Para outros, é ter bastante tempo para seus hobbies e assim por diante.

Para mim, pessoalmente, é passar um tempo com minha esposa e filho, ir à praia e comer boas comidas e bebidas. Sou um homem simples, eu sei.

Mas se você ainda não pensou sobre o que te faz feliz e realizado, você pode estar se sentindo insatisfeito sem perceber por quê.

Se você acha que isso é verdade para você ou alguém que você conhece, aqui estão os comportamentos sutis que você precisa observar.

1) Usar linguagem autodepreciativa ou duvidar de suas habilidades

Aqueles que estão insatisfeitos com a vida e consigo mesmos muitas vezes têm uma conversa interna negativa, repreendendo-se internamente, mas às vezes também com os outros.

Este diálogo prejudicial reforça uma mentalidade pessimista, restringindo a autoestima e perpetuando a insatisfação.

Acho que o problema deles é que eles sabem que há um problema, mas não conseguem identificá-lo com exatidão ou não querem mudar nada.

2) Manter-se em zonas de conforto em vez de abraçar a mudança

Falar sobre não querer mudar as coisas, permanecer na sua zona de conforto, embora pareça seguro, simplesmente impede o seu crescimento pessoal.

As pessoas que resistem à mudança perdem oportunidades de autodescoberta e melhoria, reforçando uma sensação de estagnação.

Por sua vez, eles estão insatisfeitos com a vida, e só quando estão prontos para abrir sua mente para mudanças e coisas novas é que eles saem desse sentimento.

Eu sempre digo que é melhor tentar e falhar do que não tentar e ficar pensando, poderia, iria, deveria.

Além disso, muitas pessoas de sucesso falharam na ascensão. Eles tentaram coisas até que uma delas conseguiu, e foram vistos como “histórias de sucesso da noite para o dia“. Ninguém nunca menciona seus numerosos erros do passado.

Pense nisso por um momento.

3) Minar seus próprios esforços sem perceber

Essas pessoas muitas vezes se auto-sabotam ao minar inconscientemente seus próprios esforços, movidas por sentimentos de indignidade ou medo do sucesso.

Esse comportamento se manifesta em procrastinação, oportunidades perdidas ou ações destrutivas.

É por isso que reconhecer a auto-sabotagem requer autoconsciência e uma compromisso de quebrar padrões destrutivos.

Ao cultivar a autocompaixão, estabelecer metas pragmáticas e buscar apoio, qualquer pessoa pode superar tendências de auto-sabotagem.

Mas para fazer isso, você não pode culpar os outros pela sua desgraça.

4) Responsabilizar os outros pela sua insatisfação

Responsabilizar os outros pela insatisfação pessoal pode ser um mecanismo de defesa. Ao externalizar a causa da infelicidade, as pessoas evitam simples e facilmente confrontar o seu próprio papel na formação das suas vidas.

Eles não precisam se fazer perguntas difíceis porque a culpa é de outra pessoa, certo?

Não estou dizendo que os outros não sejam responsáveis ​​por pelo menos algumas de nossas preocupações, como não conseguir moradia acessível, mensalidades universitárias altíssimas e falta de assistência médica acessível.

Mas também é verdade que você não pode fazer muito sobre essas questões. Você pode, no entanto, melhorar e pelo menos conseguir uma posição inicial melhor para seus filhos se achar que já foi longe demais.

Eu não deixaria de mudar para outros países se isso fosse necessário. Eu mesmo já fiz isso duas vezes. Também não estou descartando a possibilidade de ter que fazer isso de novo.

De qualquer forma, torna a vida mais emocionante.

5) Medindo constantemente seu sucesso em relação aos outros

Ok, outra coisa que diminui a satisfação das pessoas é medir constantemente seu sucesso em relação aos outros. Isso resulta em um sentimento perpétuo de inadequação.

É porque esta comparação pouco saudável muitas vezes deixa de considerar as circunstâncias individuais e as realizações dos outros.

O que quero dizer com isso é que você só vê o brilho e o glamour. Você realmente não vê o que era necessário para chegar lá e como essas pessoas se sentem por dentro.

Se você acha que pessoas ricas e bem-sucedidas não têm problemas, está gravemente enganado. Na verdade, eu diria que se você descobrisse o que está nos bastidores de suas vidas, você não iria querer trocar de lugar com eles nem em um milhão de anos.

6) Sempre procurando a próxima grande novidade, mas nunca encontrando contentamento

Se há outra coisa que a mídia social nos ensinou é que você deve estar sempre procurando a próxima novidade grande e brilhante.

Pessoas que estão sempre em busca da próxima oportunidade emocionante, acreditando que as circunstâncias externas trarão felicidade duradoura, estão totalmente errados.

Esse comportamento resulta em um ciclo interminável de insatisfação, à medida que o contentamento e a satisfação com a vida permanecem ilusórios.

Encontrar a realização significa que você precisa finalmente reconhecer o valor do momento presente, valorizar as conquistas e compreender que o contentamento genuíno vem de dentro e não de conquistas ou compras externas.

7) Sentindo-se preso

Muitas pessoas têm uma sensação generalizada de estar presas. Muitas vezes, isso é resultado da falta de progresso ou crescimento.

Seja nas relações pessoais ou nas atividades profissionais, essa sensação certamente amplifica a insatisfação e a sede de mudança.

Por muitos anos, simplesmente não consegui um emprego gratificante. Isso estava destruindo minha satisfação com a vida. Perdi toda a confiança e até a auto-estima porque vinculei minha autoestima a esses empregos ruins.

É por isso que se sentir preso pode ser muito frustrante. Você está neste lugar onde tudo parece estagnado e não tem certeza de como seguir em frente.

Se você está lidando com isso, primeiro pare um momento para pensar por que está se sentindo assim. O que está incomodando você?

Escolha um hobby, junte-se a um clube ou simplesmente faça algo diferente. Às vezes, uma mudança na rotina pode abalar as coisas.

Às vezes, apenas dar um passo, qualquer passo, pode fazer uma grande diferença.

8) Idealizar o passado em vez de abraçar o presente

Os obcecados pela nostalgia idealizam o passado, vendo-o através de lentes cor-de-rosa.

Eles caíram na clássica armadilha dos “bons velhos tempos”, certo? É totalmente normal olhar para o passado com um pouco de nostalgia. Ainda assim, quando começa a ofuscar o presente, é aí que as coisas ficam problemáticas.

A idealização do passado muitas vezes acontece quando nos lembramos dos destaques e esquecemos os desafios e incertezas que os acompanham.

Como olhar para o ensino médio como os “melhores anos da minha vida” por causa dos momentos divertidos com os amigos, mas convenientemente esquecendo o estresse dos exames, as coisas sociais estranhas e a pressão de descobrir o futuro.

Ou refletir sobre um emprego anterior como o emprego dos sonhos, lembrando-se da grande equipe e dos projetos de sucesso, mas esquecendo as longas horas de trabalho, a política do escritório e os motivos pelos quais você acabou saindo.

Você precisa lembrar que a vida é uma mistura de altos e baixos, e abraçar o presente significa aceitar e valorizar ambos.

Também significa parar com esta prática seguinte.

9) Manter-se excessivamente ocupado para evitar enfrentar problemas subjacentes

O excesso de ocupação é uma estratégia típica para evitar uma introspecção mais profunda. Preencher constantemente sua agenda com tarefas e compromissos é uma “excelente” distração da insatisfação central.

Sentir-se desconfortável durante momentos de ociosidade ou relaxamento também leva à compulsão de preencher qualquer tempo disponível com tarefas ou distrações.

Constantemente em movimento, correndo de um lugar para outro, sem perder tempo para apreciar o momento presente. Para algumas pessoas, a vida é como uma corrida perpétua sem linha de chegada.

Acima de tudo, libertar-se do trabalho febril significa reservar tempo para a autorreflexão, priorizar o autocuidado e abordar as causas profundas da evitação.

Equilibrar produtividade com descanso e reflexão também é essencial para o bem-estar geral.

Não cometa esse erro e espere que a vida seja perfeita

Expectativas irrealistas são responsáveis ​​por estabelecer padrões impossivelmente elevados para você ou para os outros.

O que isso resulta é insatisfação e decepção constantes.

Se você não aceitar as imperfeições da vida, estabelecer metas realistas e praticar a autocompaixão, nunca se libertará da insatisfação na vida.

Em última análise, aceitar que a vida é naturalmente imperfeita o levará a uma perspectiva mais equilibrada e gratificante.

Share.