Leilão Planet Hollywood: (Quase) Tudo Tem que Ir!

Você não pode colocar um preço nas memórias, exceto, é claro, quando puder. E em março, todos nós teremos a chance de comprar alguns dos adereços mais inesquecíveis da história do cinema em dois enormes leilões de memorabilia de filmes em Los Angeles. O maior, de 20 a 24 de março, será o evento Treasures From Planet Hollywood da Heritage Auctions, no qual cerca de 1.600 peças – o blaster da Princesa Leia, o chicote de Indiana Jones, a porta do bote salva-vidas de Jack e Rose Titânico – estará no bloco. Por meros US$ 30 mil, você poderia brandir as tábuas de pedra de Moisés de Os dez Mandamentos da próxima vez que você estiver disciplinando as crianças. O fundador do Planet Hollywood, Robert Earl, estima que a franquia de restaurantes com tema Tinseltown gastou entre US$ 20 e US$ 30 milhões em memorabilia de filmes ao longo de três décadas e diz que os lotes à venda representam apenas uma fração de sua coleção de 60 mil itens. Trinta e três anos após sua fundação (e 23 após seu segundo pedido de falência), a marca está deixando de exibir adereços e fantasias em favor de um conceito de áudio e vídeo mais envolvente em seus locais, incluindo um cassino em Las Vegas, um resort em México e um restaurante na Times Square inaugurado em junho. “Eu temia que grande parte fosse simplesmente trancada em um depósito”, diz Earl sobre a decisão de vender o tesouro. A venda, que já recebeu sete dígitos na pré-licitação, é o maior leilão de adereços cinematográficos desde a venda da coleção Debbie Reynolds na Heritage em 2012. Para não ficar para trás, a Prop Store de Los Angeles está realizando um evento de três dias por ano. semana anterior, de 12 a 14 de março, com mais de mil itens. “Tenho certeza de que eles estão pegando carona”, diz Earl, “mas gostamos da Prop Store. Compramos muitas coisas deles ao longo dos anos.” Colecionadores com olhos de águia notarão uma surpreendente sobreposição entre as duas vendas, incluindo duas versões da fantasia de cowboy atômico de Marty McFly de De volta para o futuro III. E embora ambas as vendas apresentem vários tesouros de Guerra das Estrelas, apenas a Prop Store pode ostentar a cabeça dourada do C-3PO, cortesia de seu antigo usuário, Anthony Daniels. Estima-se que arrecade cerca de US$ 1 milhão. Muito rico? O leilão do Planet Hollywood está oferecendo o chefe da Dot Matrix, cópia C-3PO de Joan Rivers de Bolas espaciais, por um roubo com um lance inicial de US$ 1.000. – Julian Sancton

UCLA traz Pecado Voltar às telas de cinema

Drogas. Prostituição. Assassinato. Atuação ruim. Raramente na história do cinema tantos vícios mortais foram reunidos em um filme B mal iluminado. Mas em Abril, uma impressão cuidadosamente restaurada de O salário do pecado – o infame “filme de exploração” de 1938 sobre uma mulher cuja tragada num cigarro de maconha a leva à servidão desesperada em uma rede de tráfico sexual – será exibido no Festival de Preservação da UCLA. “Este foi um resgate na hora certa”, diz o escritor e preservacionista David Stenn, responsável por Pecadoa ressurreição. “Havia um negativo que estava se decompondo no armazenamento e algumas impressões de baixa qualidade de 16 milímetros flutuando por aí, mas já faz décadas que ninguém conseguia vê-lo. É um artefato extremamente raro.” É também um exemplo brilhante de uma forma de arte perdida. As primeiras imagens de exploração, feitas fora do código de censura Hays, com orçamentos apertados e com a delicadeza cinematográfica de uma escavadeira, ultrapassavam os limites do que poderia ser mostrado, com enredos lascivos ambientados em bordéis e antros de drogas. “Claro, muitos desses filmes parecem ter sido editados com uma espátula”, diz Stenn, que descobriu Pecado apodrecendo nos arquivos da UCLA enquanto pesquisava Menina 27, seu documentário de 2007 sobre o escândalo de 1937 na MGM sobre o assassinato da dançarina Patricia Douglas. “Mas eles são uma parte importante da história. Ainda vale a pena salvá-los.” – Benjamin Svetkey

Continua após a publicidade..

Artista se ajuda na cultura de autoajuda

Há alguns anos, a artista de Amsterdã Nora Turato fez uma grande exposição no Museu de Arte Moderna de Nova York – e isso quase levou a um colapso. “Eu estava muito tensa”, ela disse ao Rambling Reporter. “Eu bati em uma parede. E pensei: ‘OK, preciso de terapia. Preciso começar a trabalhar em mim mesmo. Isso me levou a olhar para dentro.” Os resultados de todo esse olhar interior? Uma nova exposição na galeria Sprüth Magers de Los Angeles, de 28 de fevereiro a 27 de abril, que visa a cultura de bem-estar “woo woo” e o complexo industrial de autoajuda. O show, a primeira apresentação de Turato na Costa Oeste, é intitulado Não é verdade!!! Pare de mentir! e traz obras — como peças de esmalte gravadas com frases como “falando minha VERDADE!!!” – questionando a autenticidade de conceitos tão alardeados pela mídia como, também, autenticidade. “O autêntico está sendo vendido para nós como uma identidade, como uma interpretação egóica de como você deveria ser”, explica ela. Ainda assim, enquanto está em Los Angeles, Turato, 33 anos, não hesita em se aventurar no coração do bem-estar: a primeira parada em seu passeio turístico local foi uma viagem a Erewhon. “Fiquei muito curiosa sobre isso”, diz ela, “mas fiquei muito estressada no segundo em que entrei”. – Chris Gardner

Continua após a publicidade..

Saudação, Mary: Sra. Lincoln encontra Spielberg, Field, Kushner

Obviamente, Abraham Lincoln nem sempre teve muita sorte no teatro. Mas uma nova comédia off-Broadway sobre sua esposa, Ah, Maria!parece ter tirado a sorte grande, atraindo um público repleto de estrelas que recentemente incluiu Sally Field, que interpretou Mary Todd Lincoln em 2012 Lincoln, bem como o diretor do filme, Steven Spielberg, e o roteirista, Tony Kushner. “Eu estava nervoso”, admite Ah, Maria! a escritora e estrela Cole Escola, que foi alertada de que Field e amigos compareceriam no dia 21 de fevereiro. “Minha peça é um desenho animado, nada baseado na realidade, e quase não fiz nenhuma pesquisa. Eu me perguntei se isso poderia ser ofensivo [to them] de algum modo.” Claramente não. Field, Spielberg e Kushner apareceram nos bastidores após o show e tiraram fotos com Escola. Uma adaptação para a tela grande de Ah, Maria! não foi discutido, mas Escola duvida que Spielberg estaria interessado. “Ele é o único diretor que eu deixaria fazer uma versão filmada”, diz Escola, “mas não consigo imaginar um mundo onde ele tocaria nisso”. – Caitlin Huston

Continua após a publicidade..

Esta história apareceu pela primeira vez na edição de 28 de fevereiro da revista The Hollywood Reporter. Clique aqui para se inscrever.

Share.